A força da palma (história Magrebe), que adora general João Baptista de Matos chega a pensar que as pessoas más a fazer a mudança:

Era uma vez um homem cujo nome era detestável Sadok Ben, era muito agressivo e tudo parecia bem destruído. Perto de um oásis teve uma pequena palmeira crescendo e eu queria bater nos olhos de Ben Sadok que colocar uma pedra em cima da palma da mão jovem e continuou.

A palma iria mover a pedra, mas não conseguiu e por muito que tentou empurrar nada recebendo. Removida do chão e foi capaz de segurar. Como poderia esticar seu corpo começou a cavar as suas raízes mais e encontrou as veias ocultas de oásis de água, juntamente com os mais puros diamantes africanos e da água cristalina mesmo onde eles estavam.

As águas eram frescas e deu profunda a energia e força para balançar afastado sem qualquer outra árvore poderia ofuscar sua coroa. A luz do deserto profundo e intenso filtrada pelo crivo de diamantes fez que era uma árvore jovem de se tornar uma grande palmeira, palmeiras rainha.

O tempo passou ea detestável Ben Sadok, mais uma vez de se alegrar com a exibição de árvore que o estrago já queria, mas não conseguia encontrar. Nem podia ver o brilho refletindo diamantes desde a pedra foi colocada em cima era muito grande.

A palmeira que ficava coroa orgulhosamente apontou inclinou a rocha e agradeceu Sadok o que ele fez: a sua carga me fez forte

Notícias de Interesse: O general João de Matos * general João de Matos Angola * João de Matos * João Matos * O general João de Matos diamantes